Tempo estimado de leitura: 5min O Mercado de Influenciadores Digitais busca relevância e formalização no Brasil, mas a discussão sobre as práticas exige maturidade necessária para entender também as responsabilidade das atividades exercidas ao representar as marcas perante os consumidores. Recentemente o meio&mensagem veiculou esse artigo informando que no mês de junho 2020, a Kantar Ibope Media e a empresa de Marketing de Influência Squid realizaram uma pesquisa que mapeia parte desse Mercado e ouviu 23 anunciantes e 17 agências, todos de grande porte.  Dessas marcas que foram analisadas na pesquisa, 95% afirmaram que estão aumentando o investimento no Marketing de Influência e cerca de 70% disseram que já realizaram ações na área. Quase metade (45%) das agências contaram que suas campanhas com Influenciadores têm periodicidade mensal, com estratégia always on, enquanto outras 25% revelaram que utilizam a figura dos Influencers em suas ações de forma trimestral. É possível extrair da leitura do artigo que a influência deixou de ser verba de produção e passou a fazer parte dos orçamentos de mídia dentro do Marketing, mesmo este Mercado precisando profissionalizar-se muito ainda. Dessa forma, não é só na Black Friday (que ultimamente têm acontecido na integralidade do mês de novembro e não só na última sexta-feira desse mês hahaha) que os Influenciadores precisam ficar atentos à forma que se comunicam e entre outros cuidados importantes que elencamos abaixo para atingir um nível de maturidade coerente e responsável com os propósitos que as marcas buscam. O Legal Marketing, assim como qualquer outra área que o direito busca regular, dá-se por reger o comportamento humano, então lembre-se que a formalização deste Mercado de Influenciadores Digitais precisa ser observada por todos, em todos os aspectos, e não só os que beneficiam do ecossistema. Por isso leia com cuidado os 3 pontos que destacamos abaixo. É importante que fique claro quais são as tendências recentes de regulamentação do mercado:
    • Recentemente no Rio de Janeiro, uma Influenciadora foi incluída em uma Ação de Condenação (Dano Material) pelo Autor, por esse ter demonstrado que só adquiriu o produto porque foi objeto de um publipost que o havia influenciado à compra;
    • Mesmo a marca sendo o ponto focal para aplicação do Código de Defesa do Consumidor (CDC), foi-se aplicado o Código Civil (CC) à relação da Influenciadora com o Consumidor, por considerar sua atuação como de risco, uma vez que ela se beneficia da atividade que exerce, também precisa cobrir os riscos dela!
    • Então fiquem ligados, Influenciadores. Vocês têm responsabilidade conjunta com as marcas que comunicam!
    • No ano de 2019 o CONAR teve novo recorde de processos éticos envolvendo publicidade veiculada em internet, sendo que as denúncias de consumidores levaram à abertura de quase 70% desses processos (segundo o boletim CONAR – ed. 220 – janeiro de 2020);
    • Leia com atenção o Código Brasileiro de Autorregulamentação Publicitária, principalmente os anexos relacionados às atividades da marca com a qual tem parceria;
    • Faça indicação de suas postagens com as hashtags #publi, #ad e entre outras, assim você demonstra transparência para seus seguidores e fica tranquilo com a fiscalização do CONAR.
    • As chamadas Promoções Comerciais, que buscam disponibilizar produtos, serviços e prémios de forma gratuita, tem sua atividade regulada pela Secretaria de Avaliação, Planejamento, Energia e Loteria (SECAP – Ministério da Economia), e é frente à ela se deve buscar autorização para sua Ação de Marketing;
    • O ideal é requerer a autorização para o sorteio com pelo menos 40 dias de antecedência;
    • As ações que não tiverem a autorização necessária, ou sua divulgação antes da expedição da autorização, podem ser multadas!
Conseguiu perceber que boa parte da profissionalização do Mercado de Influenciadores passa pelo posicionamento correto diante das regulamentações que estão vigentes? Mesmo escolhendo consumir notícia dessa “bolha” é inviável se atualizar o tempo todo e saber quais são ações necessárias e corretas para tomar decisões em uma possibilidade de negócio dentro desse Mercado.  Então, Marcas, Agências, Influenciadores, e Interessados conheçam o trabalho que o Legal Marketing (inclusive dos especialistas nessa área) desenvolve e como ele pode auxiliar vocês com a profissionalização deste Mercado facilitando as atualizações e conexões com as tendências e práticas regulamentadas para tornar seguras as negociações. Cocriação: Ana Paula Borges Martins

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *